Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 24 de julho de 2012

SOBRE O FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL


SOBRE O FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
Obs: As fontes da pesquisa estão citadas no texto.

Pesquisa: Elio Mollo


Fluido Cósmico Universal é um elemento semimaterial simples e primitivo que cede a qualquer força e não tem forma independente, mas se amolda ao ambiente em que se coloca, ou se sujeita a potência de um pensamento inteligente, ou seja, essa matéria elementar é suscetível de receber todas as modificações e de adquirir todas as propriedades. Ela possui uma forma determinada, constante para as moléculas elementares primitivas e variável para as moléculas secundárias, mas ainda não pode ser apreciada ou medida pelos sentidos humanos. É o agente de que o Espírito se utiliza; é, também, o princípio sem o qual a matéria estaria em perpétuo estado de divisão e nunca adquiriria as qualidades que a gravidade lhe dá.

É cósmico porque está espalhado por todo o espaço infinito formando seres e astros. É universal porque abrange todas as coisas e se estende a tudo.

Texto com base nas qq. de 27 à 34 de O Livro dos Espíritos

* * *

FLUIDO UNIVERSAL
Questão 27 de «O LIVRO DOS ESPÍRITOS»

Deus, espírito e matéria constituem o princípio de tudo o que existe, é a trindade Universal.

Deus é a inteligência suprema causa primária de todas as coisas. (q. 1 – LE)

O Espírito (Alma) é o princípio inteligente.

Para que o Espírito possa exercer ação sobre a matéria tem que se juntar o fluido universal, pois, é ele que desempenha o papel intermediário entre o Espírito e a matéria grosseira.

É lícito até certo ponto, classificar o fluido universal com o elemento material, porém, ele se distingue, deste por propriedades especiais. Este fluido deve ser considerado como sendo um elemento semimaterial, pois, está situado entre o Espírito e a matéria.

Esse fluido universal, ou primitivo, ou elementar, sendo o agente de que o Espírito se utiliza; é o princípio sem o qual a matéria estaria em perpétuo estado de divisão e nunca adquiriria as qualidades que a gravidade lhe dá.